terça-feira, 31 de maio de 2011

Mas enfim o que é AMARULA ????

Na última semana estive em uma cidadezinha aqui do ES chamada Domingos Martins, para quem não conhece vale a pena.
O lugar é tranquilo e cheio de "gostosuras" e é claro tive que comprar algumas. Entre elas comprei um licor de Amarula, na verdade tinha licor de TD, mas eu preferi esse.
Resolvi pesquisar na net o que é essa tal de AMARULA.
Vejam o que encontrei:

AMARULA é um sofisticado licor, destilado da exótica fruta marula, da arvore africana maruleira, misturado com creme fresco, que resulta num produto cremoso, estável, rico e macio. AMARULA pode ser desfrutado em qualquer lugar, em todas as ocasiões e a qualquer hora. Toma-se puro, "on-the-rock's" ou com gelo moído. Ou ainda sobre sorvetes ou no seu café – forma deliciosa de completar uma refeição.
AMARULA é puro feitiço. Tão singelo como os mitos e lendas que lhe deram origem.
Graduação Alcoolica: 17%
O fruto MARULA , depois de cair no chão, começa a fermentar e, naturalmente há produção de álcool
Todos os animais das redondezas são atraídos, adoram o seu sabor e o consomem sem limites.

Dá para fazer essa delícia em casa - claro uma AMARULA FALSA - já tomei e não deixa a desejar não.
Receitinha:


- 1 lata de leite condensado
- 2 caixas de creme de leite ( não pode ser lata por causa do soro)
- 1 medida (de lata de leite condensado) de conhaque
- 3 colheres cheia (sopa) de chocolate em pó
Modo de Preparo:
Adicionar tudo no liquidificador e bater a vontade

* Depois eu posto a ft da minha garrafinha - ainda não abri....

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Previdenciário - Segurados Obrigatórios do RGPS

Segurados obrigatórios

È a pessoa física que exerce atividade remunerada abragaida pelo Regime Geral de Previdência Social – RGPS na qualidade de:
1. Empregado;
2. Trabalhador avulso;
3. Empregado doméstico;
4. Contribuinte individual;
5. Segurado especial.

Definições básicas 

Segurado empregado é aquele que presta serviços de natureza urbana ou rural à empresa, em caráter não-eventual, com subordinação e mediante remuneração.
Nesta categoria estão: trabalhadores com carteira assinada, trabalhadores temporários, diretores-empregados, que tem mandato eletivo, quem presta serviço a órgão público, como ministros e secretários e cargos em comissão em geral, quem trabalha em empresas nacionais instaladas no exterior, multinacionais que funcionam no Brasil, organismo internacionais e missões diplomáticas instaladas no país. Não estão nessa categoria os empregados vinculados a regimes próprios, como os servidores públicos.
O aposentado por qualquer regime de previdência social que exerça atividade remunerada abrangida pelo RGPS é segurado obrigatório em relação a essa atividade, nos termos do § 4º do art.12, da Lei nº 8.212, de 1991, ficando sujeito às contribuições de que trata a referida Lei.
O segurado filiado a RPPS que venha a exercer, concomitantemente, uma ou mais atividades abrangidas pelo RGPS, tornar-se-á contribuinte obrigatório em relação a essas atividades.

Trabalhador avulso é aquele que, sindicalizado ou não, contratado mediante a intermediação obrigatória do sindicato de carteira ou, quando se tratar de atividade portuária, do Órgão Gestor de Mão-de-Obra – OGMO, presta serviços de natureza urbana ou rural, sem vínculo empregatício, a diversas empresas. Nesta categoria estão os trabalhadores em ponto: estivador, carregador, amarrador de embarcações, quem faz a limpeza e conservação de embarcações e vigia. Na industria de extração de sal e no ensacamento de cacau e café também há trabalhador avulso.

Segurado empregado doméstico é aquele que presta serviços de natureza contínua, mediante remuneração, à pessoa, à família ou ]á entidade familiar, no âmbito residencial desta, em atividade sem fins lucrativos. São empregados domésticos: governanta, enfermeiro, jardineiro e outros.

Segurado contribuinte individual entre outros, é aquele que p resta serviço, de natureza urbana ou rural, em caráter eventual, a uma ou mais empresas, sem relação de emprego e/ou aquele que exerce, por conta própria, atividade econômica de natureza urbana, com fins lucrativos ou não.
Nesta categoria estão as pessoas que trabalham por conta própria (autônomo) e os trabalhadores que prestam serviços de natureza eventual a empresas, sem vínculo empregatício. São considerados contribuintes individuais, entre outros, os sacerdotes, os diretores que recebem remuneração decorrente de táxi, os vendedores ambulantes, as diaristas, os pintores, os eletricistas, os associados de cooperativas de trabalho e outros.
No mês em que não for paga nem creditada remuneração, ou não houver retribuição financeira pela prestação de serviço, os segurados contribuintes individuais poderão, por ato volitivo, contribuir para a Previdência Social na qualidade de segurados facultativos.

Segurado especial é o produtor, o parceiro, o meeiro, o comodatário e o arrendatário rurais, o pescador artesanal ou o a ele assemelhado que exerça suas atividades individuais ou em regime de economia familiar, ainda que com auxílio eventual de terceiros, quando comercializarem sua produção rural.
Consideram-se seguro especial os trabalhadores rurais que produzem em regime de economia familiar, sem utilização de mão-de-obra assalariada. Estão incluídos nesta categoria cônjuges, companheiros e filhos de 16 anos que trabalham com a família em atividade rural. Também são considerados segurados especiais o pescador artesanal e o índio que exerce atividade rural e seus familiares.

sábado, 28 de maio de 2011

Olha aí meu bem... prudência e dinheiro no bolso ... CANJA DE GALINHA.. não faz mal a ninguém...

Sábadão... normalmente procuro algo bem sustancioso...mas como estrapolei durante a semana... e inspirada na Nane - do Vovó que ensinou resolvi fazer uma canjinha.. e assim foi:

1/2 cebola
1 cenoura em cubos
1 batata em cubos
2 filés de peito de frango em cubinhos - ou o peito msm
2 batatas baroas pequenas
1 tomate
1/2 copo de arroz





Refogue a cebola no azeite e alho.
Junte o frango (eu temperei com sazon Tradições Nordestinas).
Junte os legumes.
Adicione água quente.
Deixe cozinhar por 15 minutos e junte o arroz. Cozinhe por mais 15 minutos.
Sirva com queijo ralado, cheiro verde e pimenta.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Capuccino CASEIRO...

Olha, confesso que não só tão fã de café... mas qd chega nessa época fria não resisto a um capuccino.. com pão de queijo de preferência.
Sempre faço essa receita, como dá muito acabo distribuindo para a família.
Lá vai a receitinha, esse ano ainda não fiz...
Ahhhhhh... com leite é bemmmm mais gosotoso...

Ingredientes
- 400 g de leite em pó
- 12 colheres de chocolate (ou achocolatado) em pó
- 10 colheres de açúcar refinado
- 50 g café solúvel em pó
- 1 caixinha de pó para chantilly ou uma pequena porção em creme
-1 colher (sopa) bicarbonato de sódio
- 1 colher (café) de canela em pó
Modo de Preparo

Separe todos os ingredientes em pequenos recipientes e em seguida, bata no liquidificador ou processador, o café solúvel, o chocolate em pó, o leite em pó, a canela em pó bacia e o bicarbonato de sódio. Depois, passe essa mistura por uma peneira por 2 ou 3 vezes para que os pós fiquem bem misturados.Guarde-a em potes fechados e na hora de servir, basta acrescentar 1 xícara de leite quente ou água, para preparar o cappuccino mais cremoso, utilize 2 colheres de sobremesa de leite. Depois de pronto, você poderá incrementar a sua receita colocando o chantilly por cima.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Previdenciário - Importante - Empregador Doméstico - Quem é...

O empregador doméstico contribui de maneira diferenciada para a Previdência Social. Ele paga mensalmente 12% sobre o salário de contribuição de seu(s) empregado(s) doméstico(s), enquanto os demais patrões recolhem sobre a folha salarial. Cabe ao empregador recolher mensalmente à Previdência Social a sua parte e a do trabalhador, descontada do salário mensal.
O desconto do empregado deverá seguir a tabela do salário de contribuição. O recolhimento das contribuições do empregador e do empregado domésticos deverá ser feito em guia própria (Guia da Previdência Social - GPS), observados os códigos de pagamento.
Se o empregador decidir recolher FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Trabalho) para seu empregado doméstico, deverá preencher Cadastro Específico do INSS (CEI) e a Guia de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social (GFIP).
Depois de assinar a Carteira de Trabalho e Previdência Social do empregado doméstico, o patrão deverá fazer inscrição do trabalhador na Previdência Social pela Internet ou em uma agência. Para fazer a inscrição é preciso apresentar a carteira de trabalho do empregado com o registro, documentos pessoais do trabalhador e do empregador.
Quando a empregada doméstica estiver em licença maternidade, o empregador deverá pagar à Previdência Social somente a quota patronal.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Esquentando os pés no inverno...

Achei essa matéria mt boa... repassando...

Se os seus pés ficam frios enquanto você dorme, veja essas dicas do Bem Simples para esquentá-los durante a noite.



Você precisa de

Meias
Canela em pó
Óleo de bebê
Peça de seda
Sacola plástica

Passos

1

Coloque canela em pó dentro de um par de meias e calce-as antes de dormir.

2

Esfregue os pés com óleo de bebê para que o sangue circule melhor e aqueça a região.

3

Cubra os pés com alguma peça de seda até eles ficarem quentinhos.

4


Cubra cada pé com uma sacola plástica e calce meias por cima para prendê-las.

Fonte: http://comunidade.bemsimples.com/tempo-livre/w/tempo-livre/Como-aquecer-os-pes-durante-a-noite.aspx

Dicas para manter a sopa quentinha ao ser servida.

Nestes dias frios nada como uma boa sopinha bem quentinha. Se você não tem em casa um réchaud, uma bandeja elétrica ou algum sistema para deixar os pratos em banho-maria durante a refeição, uma idéia simples para manter a comida quente na mesa é escaldar a travessa com água fervente imediatamente antes de passar a comida da panela para lá. Outra solução é escolher recipientes para servir feitos de materiais que retêm o calor. Os mais indicados são os de paredes mais grossas, como panelas, tigelas e potes de cerâmica, ferro esmaltado ou pedra-sabão. Não use travessas de parede fina, geralmente feitas de inox, porcelana ou vidro - nesse caso, aliás, se não for temperado, pode trincar. E, claro, o ideal é recorrer a recipientes com tampa - fechados, eles vão "segurar" o calor por mais tempo.


Dica da revista Criativa

terça-feira, 24 de maio de 2011

Eu tinha um lindo pé de alecrim....

.... estava lindo msm... de um dia pro outro - literalmente - secou, morreu...fiquei mt triste ... vou pedir mamãe para plantar de novo pra mim, então posto a ft pra vcs!!
Enquanto ela não vem, vamos a um breve resumo sobre o alecrim:

De nome cientifico: (Rosmarinus officinalis), o alecrim faz parte das palantas medicinais e ao mesmo tempo é como todos bem sabemos uma erva aromática de excelencia. O alecrim usa-se como tempero em cozinhados. É estimulante, elimina gases e ajuda a melhorar a circulação sanguínea. Usa-se contra o reumatismo e a gota aumenta a memória. Em infusão usa-se contra a colite ulcerosa. Aplicado em forma de vapor tira as enxaquecas rebeldes. ” Má é a chaga que o alecrim não cura”; as chagas e feridas lavam-se com infusão de flores de alecrim e cobrem-se com gaze ou algodão. O fumo do alecrim é bom contra tosse e catarro (das pessoas que ainda nao perderam o vicio de fumar); a flor, em cozimento, fortalece o cérebro, o coração, o estômago e restitui a memória perdida.

Geléia de Alecrim...

  • 5 quilos de maçã
  • 8 litros de água
  • 800 mililitros de vinagre branco
  • 2 quilos de açúcar cristal
  • 200 gramas de alecrim

modo de preparo

Envolva os galhos de alecrim em um pano fino e amarre com barbante de algodão(esse procedimento é para a geléia não ficar turva ao ter contato direto com os galhos).
Leve a água e as maçãs ao fogo e deixe ferver por 35 min.
Coe a calda.
Espere o líquido escorrer naturalmente.
Se espremer, a cor e o sabor do produto ficarão alterados.
Com a calda de maçã pronta, acrescente os outros ingredientes: vinagre, alecrim e açúcar cristal.
Deixe no fogo por 1h45min.
Envase o produto em vidros esterilizados.
Feche e leve para ferver em fogo alto por 15 min, com a água já em ponto de ebulição.
Lembre de colocar um pano embaixo dos potes para evitar o atrito com a panela.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Série Resuminhos: Agentes Públicos

Agentes Públicos: Definições, Espécies e Classificações
 
Agente Público é todo aquele que exerce, ainda que transitoriamente ou sem remuneração, por eleição, nomeação, designação, contratação ou qualquer forma de investidura ou vínculo, mandato, cargo, emprego ou função pública. Tal definição tem origem na Lei 8.429/1992 (Lei de Improbidade Administrativa), em seu art. 2º. De forma sucinta, percebemos que agente público é toda pessoa física que presta serviços ao Estado, remuneradamente ou gratuitamente, permanentemente ou transitoriamente, politicamente ou administrativamente.

Percebemos que a expressão agente público agrega vários segmentos do serviço público, sendo bem mais ampla que a definição de servidor público, normalmente, adotada pelos Estatutos, que os definem como a pessoa legalmente investida em cargo público. De fato, o servidor público integra uma das categorias dos agentes públicos.

Portanto, agente público é todo indivíduo ligado ao Estado por algum tipo de vínculo, e sua atuação nessa qualidade representa a manifestação de vontade estatal. Nesse contexto, torna-se claro que o servidor público é uma espécie do gênero agente público, pois, em sentido estrito, o servidor público é o agente ligado ao Estado pelo regime estatutário. O servidor público é aquele que ocupa cargo público, já agente público é o ocupante de cargo, emprego, função ou mandato. Sendo os servidores públicos espécies de agentes públicos, os mesmos são classificados como agentes administrativos.

Já a expressão empregado público é utilizada para representar aqueles que possuem um vínculo funcional com a Administração, estabelecido através de um regime jurídico celetista, enquanto funcionário público é um termo que atualmente só é utilizado no Direito Penal, não sendo mais relevante no estudo do Direito Administrativo. Funcionário público, para o Direito Penal, é todo aquele que, embora transitoriamente ou sem remuneração, pratica crime contra a Administração Pública, no exercício de cargo, emprego ou função. Assim, os conceitos de agente público, empregado no Direito Administrativo, e de funcionário público, empregado no Direito Penal, são bem amplos e equivalentes.

Por fim, o agente público é uma pessoa natural mediante a qual o Estado se faz presente. O agente manifesta uma vontade que, afinal, é imputada ao próprio Estado. Agentes públicos são, assim, todas as pessoas físicas que manifestam, por algum tipo de vínculo, a vontade do Estado, nas três esferas do Governo (União/Estados e Distrito Federal/Municípios) e nos três Poderes do Estado (Executivo/Legislativo/Judiciário). Trata-se, desse modo, de uma expressão utilizada em sentido amplo e genérico.





Cargos Públicos

Quais são as espécies de cargos públicos presentes no Direito Administrativo brasileiro? Observamos que há três cargos distintos no serviço público, a citar:

a) Cargo Vitalício: é uma espécie de “super estabilidade”, na qual a exoneração se faz somente com sentença com trânsito em julgado. O exemplo de cargo desta natureza é o Juiz de Direito.


b) Cargo Efetivo: é aquele constituído mediante concurso público e caracterizado pela estabilidade.


c) Cargo em Comissão: é aquele livre de nomeação e de exoneração, preenchido sem concurso e caracterizado por não possuir estabilidade.




Espécies e Classificação

Utilizaremos aqui a definição de Hely Lopes Meirelles quanto às espécies e classificações de Agentes Públicos, uma vez que esta é a mais usual e frequente em concursos públicos.


a) Agentes Políticos: são aqueles integrantes do alto escalão do Governo, possuindo competência definida diretamente pela Constituição Federal, exercendo funções governamentais, judiciais e quase judiciais, elaborando normas legais, conduzindo os negócios públicos, decidindo e atuando com independência nos assuntos de sua competência. Não se submetem aos regimes jurídicos próprios dos servidores públicos em geral, pois possuem regras próprias, devido à importância de suas funções. Normalmente, seus cargos são providos mediante eleição, nomeação ou designação. Exemplos:

o Membros do Poder Executivo – o Chefe do Poder Executivo (Presidente da República, Governador e Prefeito) e seus auxiliares imediatos (Ministros de Estado e Secretários Estaduais e Municipais);
o Membros do Poder Legislativo – Senadores, Deputados (Federais, Estaduais e Distritais) e Vereadores;
o Membros do Poder Judiciário – Magistrados (Juízes, Desembargadores, Ministros de Tribunais Superiores);
o Membros do Ministério Público (Procuradores e Promotores) e Membros dos Tribunais de Contas (Ministros e Conselheiros);
o Representantes diplomáticos (diplomatas);
o Demais autoridades que atuem com independência funcional no desempenho das atribuições governamentais, judiciais ou quase judiciais, atuando ao quadro do funcionalismo estatutário.

Nesse sentido, o STF referiu-se aos magistrados como “agentes políticos, investidos para o exercício de atribuições constitucionais, sendo dotados de plena liberdade funcional no desempenho de suas funções, com prerrogativas próprias e legislação específica”. As prerrogativas dos agentes políticos, hauridas diretamente da Constituinte, os distinguem dos demais agentes públicos, sendo garantias necessárias para o regular exercício de suas relevantes funções (liberdade para tomada de decisões). Ainda, segundo a Corte Suprema, a Lei nº 8.429/1992, de atos de improbidade administrativa, não se aplica a todos os agentes políticos. No entendimento do STF, essa lei não é aplicável aos agentes políticos sujeitos ao chamado “regime de crime de responsabilidade”.



b) Agentes Administrativos: são aqueles que possuem uma relação funcional com a Administração Pública. Exercem atividade profissional e remunerada e sujeitam-se à hierarquia administrativa e a regime jurídico próprio. São os servidores públicos, os empregados públicos, os contratados temporariamente (excepcional interesse público – art. 37, IX, CF), os ocupantes de cargo em comissão etc.

Como regime jurídico devemos entender o conjunto de regras que estabelecem a relação existente entre a Administração Pública e seus agentes públicos. De modo sucinto, podemos concluir que tal expressão abrange o conjunto de direitos e deveres existente em tal vínculo funcional (A Lei 8.112/90 - Estatuto do Servidor Público Federal – representa o regime jurídico dos servidores públicos civis no âmbito federal, mas existem também outros estatutos). Alguns autores utilizam a expressão “servidores públicos” em sentido amplo, englobando os servidores públicos em sentido estrito (estatutários) e os empregados públicos.




Distinções de Agentes Administrativos 

1. Servidor Público: ocupante de cargo público, efetivo ou comissionado (Lei 8.112/1990); mantêm relação funcional com o Estado em regime estatutário, sempre sujeito a regime jurídico de direito público.

2. Empregado Público: ocupante de emprego público, não tem estabilidade, mas possui direito ao fundo de garantia (regime contratual trabalhista – celetista); sujeitos a regime jurídico de direito privado. Ex: Banco do Brasil.

Observação:
Enquanto vigeu a redação do art. 39, caput, dada pela EC nº 19/98 (a qual extinguiu a exigência de adoção do denominado regime jurídico único) foi possível a contratação, concomitante, de servidores públicos e de empregados públicos pela Administração Direta, autarquias e fundações públicas de qualquer ente federado. Contudo, a modificação do referido caput teve sua eficácia suspensa, pelo Supremo Tribunal Federal, em agosto de 2007, porque a Câmara dos Deputados não observou a exigência de aprovação em dois turnos (CF, art. 60, § 2º). Na ADI (Ação Direta de Inconstitucionalidade) 2.135/DF (2/8/2007), a Corte Suprema deferiu medida cautelar para suspender a eficácia do art. 39, caput, da CF, com a redação da EC nº 19/98, esclarecendo que a decisão terá efeitos prospectivos (ex nunc), isto, é, toda a legislação editada durante a vigência do artigo continua válida, assim como as respectivas contratações de pessoal.

Em suma, até que seja decidido o mérito da causa, voltou a vigorar a redação original, que exige a adoção, por parte de cada ente da Federação, de um só regime jurídico aplicável a todos os servidores integrantes da Administração Direta, autarquias e fundações públicas. Logo, atualmente, não é mais possível a contratação, concomitante, de servidores públicos e de empregados públicos para os órgãos e entidades retromencionados.


3. Função Pública: todo cargo tem função, mas nem toda função tem cargo. Ex: mesário eleitoral, júri de tribunal.

4. Funcionário público: termo não mais utilizado no Direito Administrativo, somente no Direito Penal (substituído por Agente Público). Na seara do direito penal ela é empregada abarcando todos os agentes que, embora transitoriamente ou sem remuneração, pratiquem crime contra a administração pública, no exercício de cargo, emprego ou função públicos (CP, art. 327). Portanto, para fins penais, a abrangência do conceito de funcionário público é a mais ampla possível, correspondendo à expressão “agente público”, consagrada no âmbito administrativo.


c) Agentes Honoríficos: não possuem qualquer vínculo funcional com o Estado. Possuem, geralmente, uma função gratuita e temporária, mas respondem penalmente pelo exercício arbitrário delas. Segundo a doutrina, colaboram com o Estado prestando serviços específicos em decorrência de sua condição cívica, de sua honorabilidade ou de sua notória capacidade profissional. Nessas condições, temos: mesários do TRE, jurados do Tribunal de Júri, membros de Conselhos Tutelares, dentre outros. São apenas considerados “funcionários públicos” para fins penais e usualmente atuam sem remuneração.


d) Agentes Delegados: são os particulares contratados pela Administração, que agem em nome próprio, executando as atribuições para as quais foram contratados, sob a permanente fiscalização do poder delegante. Não são servidores públicos e não atuam em nome do Estado, mas apenas colaboram com o Poder Público (descentralização por colaboração). Sujeitam-se, todavia, no exercício da atividade delegada, à responsabilidade civil objetiva (CF, art. 37, § 6º) e ao mandado de segurança (CF, art. 5º. LXIX). Enquadram-se como “funcionários públicos” para fins penais (CP, art. 327). Dividem-se, basicamente, em: concessionários, permissionários e autorizatários de serviços públicos, bem como leiloeiros, tradutores públicos, entre outros.


e) Agentes Credenciados: são os que recebem da Administração a incumbência de representá-la em determinado ato ou praticar certa atividade específica, mediante remuneração do Poder Público credenciante. Como exemplo, podemos citar as clínicas especializadas credenciadas pelo SUS (Sistema Único de Saúde), as clínicas especializadas credenciadas pelo DETRAN e a atribuição a alguma pessoa da tarefa de representar o Brasil em determinado evento internacional (ex., artistas). Também são considerandos “funcionários públicos” para fins penais.




Referências Bibliográficas

ALEXANDRINO, Marcelo e PAULO, Vicente. Direito Administrativo Descomplicado. São Paulo: Método, 2008.
MEIRELLES, Hely Lopes. Direito Administrativo Brasileiro. São Paulo: Malheiros Editores, 2008.
MELLO, Celso Antônio Bandeira De. Curso de Direito Administrativo. São Paulo: Malheiros Editores, 2010.
PIETRO, Maria Sylvia Zanella Di. Direito Administrativo. São Paulo: Editora Atlas, 2009.

domingo, 22 de maio de 2011

Agradecimentos e fts...

Eu e Tio Zezé
Tanta gente boa me desejando PARABÉNS.
A felicidade está aí.. amigos, sempre tão carinhosos.
Vou postar umas fts... na verdade a comemoração era do níver do meu querido Tio ZEZE, que completou 93 aninhos - mt bem vividos - e com uma animação de fazer inveja.
Aproveitamos "o resto do bolo" para cantar parabéns hj pra mim. Mas a festa foi ótima. E o dia, as pessoas que ligaram, que lembraram, mt especiais.

O Bolo - By MARA a doceira mais famosa de BG - Docinhos By Prima Glória  
Continuação da festa... Tia Júlia, EU, Tio Zezé


Cantando parabéns pra mim... reaproveitando o bolo rsrsrsrs!!!!

Hj é meu NIVER!!!

Então, mais um ano se passou, mais um ciclo se fecha.
Coisas boas, ruins, insignificantes... enfim a vida é assim cheia de surpresas. Ahh se pudessemos saber o que vai acontecer no futuro... se bem que acho que talvez fosse bem chato, monótono até. Prefiro viver de emoções.
O importante hj - e sempre - é ser feliz:

Um jeito, um gesto
Um golpe de ternura
E a vida volta logo pro lugar
Uma palavra é uma coisa dura
Só sentimento pode libertar...

O tempo faz o jogo
Dos desejos
Eu sei que você sabe
Esperar
O dia amanhecer
Por entre os dedos
E aí saber que o sonho
É bom demais...

Felicidade!
Brilha no ar
Como uma estrela
Que não está lá
É uma viagem
Doce magia
E uma ilusão
Que a gente não escolhe
Mas que espera viver
Um dia...

Felicidade!
Quando estou em sua
Companhia
Brilha no ar!
E nos seus olhos
Me deixou brilhar
Felicidade!
Eu vejo aquela estrela
Fantasia
Mesmo sabendo que ela não
Está lá...

Felicidade!
Brilha no ar
Como uma estrela
Que não está lá
Conto de fadas
História comum
Como se fosse
Uma gota d'água
Descobrindo
Que é o mar azul...

Felicidade!
Brilha no ar
Como uma estrela
Que não está lá
Conto de fadas
História comum
Como se fosse
Uma gota d'água
Descobrindo
Que é o mar azul
Descobrindo
Que é o mar azul...

Felicidade!

sábado, 21 de maio de 2011

Pimentas...ADOROOOO!

Muito bem pessoas, isso msm, "quase" tudo para mim tem que ter pimenta, e tem que ser ardida. Então resolvi fazer uma pesquisa na net sobre a "mardita" e achie coisas interessantes para postar aqui.
Vamos lá:

s pimentas e os pimentões pertencem à família Solanaceae e ao gênero Capsicum. É cultivada principalmente nos estados de MG, BA e GO. Consumidas no Brasil, principalmente na forma de conserva de fruto inteiro em vinagre ou azeite.
A pungência ou picância das pimentas deve-se a presença da capsaicina. A substância química que dá à pimenta o seu caráter ardido é exatamente esta que possui as propriedades benéficas à saúde. A capsaicina têm propriedades medicinais comprovadas, atua como cicatrizante de feridas, antioxidante, dissolução de coágulos sanguíneos previne a arteriosclerose, controla o colesterol, evitahemorragias, aumenta a resistência física.  Além disso, influencia a liberação de endorfinas, causando uma sensação de bem-estar muito agradável, na elevação do humor.

COMPOSIÇÃO 

O valor nutricional da pimenta é relativamente alto, por constituir boas fontes de vitaminas, principalmente C e, em tipos ingeridos secos, vitamina A. Apresenta ainda cálcio, ferro, caroteno, tiamina, niacina, riboflavina e fibras

 Pimentas em conserva

Img_0021

Ingredientes:
1 xícara (chá) de pimenta-do-reino fresca em grãos
4 dentes de alho amassados
1 xícara (chá) de pimenta malagueta limpa
1 xícara (chá) de pimenta dedo-de-moça limpa
2 e 1/2 xícaras (chá) de azeite de oliva
2 folhas de louro
1 xícara (chá) de pimenta-de-bode limpa
Modo de Preparo:
Em uma panela, aqueça o azeite de oliva e doure o alho. Adicione as folhas de louro e retire do fogo. Deixe o azeite amornar por 10 minutos. Em seguida, pegue dois vidros médios esterelizados com tampa, com capacidade para 1/2 litro cada um e faça camadas alternadas das pimentas. Despeje o azeite com o alho, cobrindo as pimentas e tampe os vidros. Guarde na geladeira ou em temperatura ambiente por até 6 meses.
Se preferir, use metade do azeite de oliva e metade de óleo de milho. Para deixar as pimentas com sabor menos picante, substitua o azeite por vinagre. Sirva com carnes.

Molho de Pimenta Marú
Esta receita é da família de Ida Guilhermina Bormann Navarro, tradição de mais de 150 anos.
Ingredientes:
1 lata de massa de tomate pequena
2 cabeças de alho
2 copos de vinagre
10 pimentas ardidas sem semente
1 pacote pequeno de orégão
1 pitada de açúcar
sal a gosto, 
10 folhas de louro
Confecção:
Bater o molho no liquidificador.

Geléia de Pimentas com Abacaxi

1 abacaxi inteiro
5 pimentas dedo-de-moça sem sementes
3 pimentas dedo-de-moça com sementes
700 gr de açúcar

Modo de Preparo

Descasque o abacaxi, tire o miolo e corte em pedaços. Leve ao fogo médio com o açúcar e deixe apurar por aproximadamente 30 minutos.
Em seguida corte as pimentas em pedaços pequenos e jogue sobre a mistura e deixe por mais 20 minutos no fogo.


sexta-feira, 20 de maio de 2011

Dúvidas sobre Beneficiários do RGPS - Resuminho para antes da prova.

1. Quem são os beneficiários do RGPS?
Os beneficiários do Regime Geral de Previdência Social são divididos em segurados e dependentes. Os segurados são pessoas físicas com idade mínima de 16 anos, que podem ser obrigatória ou facultativamente filiados ao RGPS, no primeiro caso a determinação de ser segurado decorre da lei, no segundo, provém de livre opção do indivíduo. Já os dependentes são todas as pessoas que dependem do segurado economicamente.
BENEFICIÁRIOS:
1) SEGURADOS
2) DEPENDENTES

2. Existe uma idade mínima para ser segurado do regime?
Sim. Os segurados são pessoas físicas vinculadas à Previdência Social, sendo imprescindível terem no mínimo dezesseis anos de idade.

3. Existe alguma exceção quanto a idade mínima?
Sim. O menor aprendiz tem como idade mínima 14 anos e não 16 anos. O menor aprendiz é segurado do RGPS na condição de empregado.

4. Quem são os segurados obrigatórios?
Os segurados obrigatórios são as pessoas maiores de dezesseis anos que exercem atividade remunerada, não
importando se a atividade é de natureza urbana ou rural, exercida de forma contínua ou intermitente, com ou sem vínculo empregatício.
Os segurados obrigatórios estão divididos nas seguintes categorias:
• empregado;
• empregado doméstico;
• contribuinte individual;
• trabalhador avulso; e
• segurado especial.
5. Quem são os segurados facultativos?
Os segurados facultativos são pessoas que se filiam à Previdência Social por livre opção, a fim de garantir em caso de contingências futuras (velhice, morte, reclusão, acidente, doença) os benefícios previdenciários.
Para ser segurado facultativo, a pessoa não pode exercer atividade remunerada que o enquadre como segurado obrigatório, além disso deve contar com a idade mínima de 16 anos e não pode ser participante de regime próprio de previdência social. A filiação na qualidade de segurado facultativo representa um ato voluntário gerando efeitos somente a partir da inscrição e do primeiro recolhimento, não podendo retroagir e não sendo permitido o pagamento de contribuições relativas ao período anterior à data da inscrição.
É proibida a filiação ao Regime Geral de Previdência Social, na qualidade de segurado facultativo, de pessoa
participante de regime próprio de previdência social, exceto na hipótese de afastamento sem vencimento e desde que não permitida, nesta condição, contribuição ao respectivo regime próprio. Dessa forma um servidor público ocupante de cargo efetivo que contribui para um regime próprio de previdência, não pode contribuir facultativamente para o RGPS.
Em resumo, o ato de filiar-se facultativamente pressupõe três requisitos:
• ter idade mínima de dezesseis anos;
• não exercer atividade que exija filiação obrigatória;
• não ser participante de regime próprio de previdência social.

6. Quem pode ser segurado facultativo?
Podem filiar-se facultativamente, entre outros:
a) a dona-de-casa;
b) o síndico de condomínio, quando não remunerado;
c) o estudante;
d) o brasileiro que acompanha cônjuge que presta serviço no exterior;
e) o desempregado;
f) o bolsista e estagiário que prestam serviços a empresa de acordo com a Lei no 6.494, de 1977;
g) o bolsista que se dedique em tempo integral a pesquisa, curso de especialização, pós-graduação, mestrado ou doutorado, no Brasil ou no exterior, desde que não esteja vinculado a qualquer regime de previdência social; h) presidiário que não exerce atividade remunerada nem esteja vinculado a qualquer regime de previdência social; e
i) o brasileiro residente ou domiciliado no exterior, salvo se filiado a regime previdenciário de país com o qual o Brasil mantenha acordo internacional.

7. Pode alguém ser segurado do RGPS e de outro regime de previdência social?
Pode. Lembre-se de que os servidores públicos com regime próprio de previdência social não estão abrangidos no RGPS, exceto na situação de exercício de uma atividade paralela não ligada a regime próprio, como, por exemplo, o caso de um Auditor Federal que leciona à noite numa faculdade particular. Observe que, com relação a esta última atividade, ele é vinculado ao RGPS e deverá contribuir obrigatoriamente para a Previdência Social fazendo jus aos benefícios, mesmo já contribuindo para um regime próprio, pois este segurado é um servidor público federal que concomitantemente exerce uma outra atividade na iniciativa privada.

8. Pode um servidor, participante de regime próprio contribuir facultativamente para o RGPS?
Não. O servidor que possui regime próprio só contribuirá para o RGPS como segurado obrigatório no caso de exercer uma atividade paralela, conforme respondemos na questão anterior, entretanto existe apenas uma exceção que é o caso deste servidor se afastar do trabalho através de licença sem vencimento, nessa situação ele poderá contribuir facultativamente para o RGPS, desde que não seja permitida a sua contribuição para o regime próprio ao qual é filiado.

09. Quem exerce atividades concomitantes sujeitas ao RGPS pode escolher para a qual vai
contribuir?

Não. Se a pessoa exerce, por exemplo, a atividade de engenheiro civil em uma construtora e exerce atividade de ensino numa escola particular, vai ter contribuir em relação às duas atividades, sendo que vai ser respeitado o valor do tetomáximo do RGPS que atualmente é de R$ 3.689,66. Não importa, por exemplo, se o segurado é empregado em uma empresa e presta serviços em outra na condição de contribuinte
individual, vai contribuir com relação a ambas atividades com observância do limite máximo para contribuição. O exercício de atividade remunerada sujeita a filiação obrigatória ao Regime Geral de Previdência Social, assim, aquele que exerce, concomitantemente, mais de uma atividade remunerada sujeita ao Regime Geral de Previdência Social – RGPS é obrigatoriamente filiado em relação a cada uma dessas atividades.

10. O aposentado pelo RGPS que permanece ou retorna à atividade deve contribuir?
Sim. Uma pessoa aposentada pelo Regime Geral de Previdência Social, ao voltar a exercer atividade abrangida por este regime, se torna novamente segurado obrigatório da Previdência Social.

11. O aposentado que permanece ou retorna à atividade tem direito a todos os benefícios
previdenciário?

Não. O aposentado que permanece ou retorna à atividade somente tem direito ao salário-família, salário-maternidade e aos serviços social e de reabilitação profissional.

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Os Princípios Constitucionais da Seguridade Social - Comentários aos Princípios - Preparação para o INSS

A nossa Carta Magna, no seu artigo 194, parágrafo único, elenca os objetivos da Seguridade Social, esses mesmos objetivos são chamados pela Lei 8.212/91, no seu artigo primeiro, de princípios e diretrizes. Para fins de concurso, se ocorrer alguma questão sobre o assunto, o que realmente interessa é saber quais são cada um deles e seus significados. Então, vamos aprender quais são estes princípios e seus significados.

1º Princípio. UNIVERSALIDADE DE COBERTURA E DO ATENDIMENTO.

A universalidade da cobertura, significa que a Seguridade deve contemplar todas as contingências sociais que geram necessidade de proteção social das pessoas, tais como: maternidade; velhice; doença; acidente; invalidez; reclusão e morte. Já a universalidade do atendimento, significa dizer que todas as pessoas serão indistintamente acolhidas pela Seguridade Social. A Seguridade Social compreende um conjunto integrado de ações de iniciativa dos Poderes Públicos e da sociedade, destinadas a assegurar os direitos relativos à saúde, à previdência e à assistência. Convém esclarecermos um ponto que pode suscitar dúvidas. Não podemos confundir, previdência social com seguridade social, aquela é espécie dessa. Assim, quando o princípio assegura universalidade de atendimento, não significa dizer que qualquer pessoa tenha direito aos benefícios previdenciários, já que, a Previdência Social tem caráter contributivo, ou seja, somente aqueles que contribuem para o sistema é que terão direito aos benefícios.

2º Princípio. UNIFORMIDADE E EQUIVALÊNCIA DOS BENEFÍCIOS E SERVIÇOS ÀS POPULAÇÕES URBANAS E RURAIS.
Equivale dizer, que as mesmas contingências (morte, velhice, maternidade,...) serão cobertas tanto para os trabalhadores urbanos como para os rurais. Além disso, deverão possuir o mesmo valor econômico. Observe que este princípio da Seguridade Social coaduna-se com o disposto no artigo 7º, da CF/88, que garante direitos sociais idênticos aos trabalhadores urbanos e rurais.

3º Princípio. SELETIVIDADE E DISTRIBUTIVIDADE NA PRESTAÇÃO DOS BENEFÍCIOS E SERVIÇOS.
Esse princípio apregoa que nem todos os segurados terão direito a todas as prestações que o sistema pode fornecer. Por exemplo, os benefícios salário-família e o auxílio-reclusão só serão pagos àqueles segurados que tenham renda mensal inferior a R$468,47.
O sistema objetiva distribuir renda, principalmente para as pessoas de baixa renda, tendo, portanto, caráter social.

4º Princípio. IRREDUTIBILIDADE DO VALOR DOS BENEFÍCIOS.
O artigo 201, parágrafo 4º, da CF/88, assegura o reajustamento dos benefícios para preservar-lhe, em caráter permanente, o valor real, conforme critérios a serem definidos em lei. Para quem já estudou Direito Constitucional essa é uma norma de eficácia limitada.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Curiosidades gastronômicas

Achei essas curiosidades muito interessantes no neste site. 
Resolvi reproduzir algumas:
 
ORIGEM DO BACALHAU - para os povos de língua portuguesa; Stockfish para os anglo-saxônicos; Torsk para os dinamarqueses; Baccalà para os italianos; Bacalao para os espanhóis; Morue, Cabillaud para os franceses; Codfish para os ingleses.
(O nome bacalhau, de acordo com o Dicionário Universal da Língua Portuguesa, tem origem no latim baccalaureu
Mundialmente apreciado, a história do bacalhau é milenar. Existem registros de existirem fábricas para processamento do Bacalhau na Islândia e na Noruega no Século IX. Os Vikings são considerados os pioneiros na descoberta do cod gadus morhua, espécie que era farta nos mares que navegavam. Como não tinham sal, apenas secavam o peixe ao ar livre, até que perdesse quase a quinta parte de seu peso e endurecesse como uma tábua de madeira, para ser consumido aos pedaços nas longas viagens que faziam pelos oceanos.
Mas deve-se aos bascos, povo que habitava as duas vertentes dos Pirineus Ocidentais, do lado da Espanha e da França, o comércio do bacalhau. Os bascos conheciam o sal e existem registros de que já no ano 1000, realizavam o comércio do bacalhau curado, salgado e seco. Foi na costa da Espanha, portanto, que o bacalhau começou a ser salgado e depois seco nas rochas, ao ar livre, para que o peixe fosse melhor conservado




MOLHO BÉCHAMEL - Diz a lenda que tal alquimia foi idealizada pelo marquês Louis de Béchameil (1630-1703), um financista francês , especialista em agricultura e assessor do rei Louis XIV. Na verdade , na Itália, o molho já existia desde o século 14, uma especialidade da região de Cesena, nas imediações do mar Adriático sob o nome de Balsamella.
O marquês, efetivamente, apenas utilizou a coisa antiga numa receita de frango. Provavelmente motivado pela coincidência incrível das nomenclaturas, assumiu o molho  como seu.


FONDUE - Antes de tudo, fique claro: a Fondue, e não o Fondue. Como inúmeros prêmios da gastronomia, nasceu da necessidade.
Cerca de 7 anos atrás, alguns povos dos Alpes da Suíça produziram mais queijo do que conseguiam vender e consumir. Veio o inverno e o produto se enrijeceu ao ponto do lixo. Na temporada seguinte, de novo diante de um estoque superlativo, a comunidade se reuniu e alguém, brilhantemente, expôs a sua idéia excepcional. O exagero seria derretido. E para sua melhor conservação, à massa se acrescentaria algum álcool , vinho e/ou aguardente, o Kirsh, destilado local de cerejas. A mistura se reendureceria com o frio e não mais se estragaria. Depois, bastaria rederretê-la. A operação inaugural aconteceu em um gigantesco caldeirão.A fim de experimentar o sabor, um cidadão mergulhou no queijo derretido, um espeto com um pedaço de pão nas pontas, e assim surgiu o prato nacional da Helvécia.


STROGONOFF - Prato de origem russa. Seu nome original é Strogonov. No século XVI, na Rússia, os soldados levavam sua ração de carne, cortada em nacos, em grandes barris, debaixo de uma mistura de sal grosso e aguardente para preservar. Coube a um cozinheiro do czar Pedro, o Grande, que era protegido do general Strogonov, melhorar e refinar a mistura. Com a Revolução de 1917 e a emigração dos russos brancos, a receita chegou a França, onde foi refinada, chegando a forma atual.

HISTÓRIA DO MACARRÃOA palavra "macarrão" vem do grego makària (caldo de carne enriquecido por pelotinhas de farinha de trigo e por cereais, cerca de 25 séculos atrás). A palavra pasta (massa dos italianos) vem do grego pastillos (pastillos é citado nos textos do poeta Horácio, especialista em versos culinários). Textos antigos relatam que os assírios e babilônios, por volta de 2.500 a.C., já conheciam uma pasta cozida à base de cereais e água, que pode ser considerado o avô do nosso atual macarrão.
A primeira referência e mais próxima ao Ocidente do macarrão cozido está no Talmud de Jerusalém, o livro que traz as leis judaicas, do século V a.C. O itriyah dos antigos hebreus era uma espécie de massa chata usada em cerimônias religiosas.
Na Roma antiga, século VII a.C., comia-se uma papa de farinha cozida em água, chamada pultes. Com legumes e carne eram chamadas de puls púnica. Com queijo fresco e mel, puls Julia.
Finalmente, os latinos contemporâneos de Cristo já se deliciavam com um prato batizado de macco (caldo de favas e massas de trigo e água). Entretanto, na Itália, já em 1279, 16 anos antes do retorno de Marco Pólo foi registrada uma cesta de massas no inventário de bens de um soldado genovês. A palavra maccaronis, usada no inventário, seria derivada de maccari, de um antigo dialeto da Sicília, que significa achatar ou esmagar com força, que vem do grego makar, que quer dizer sagrado.

Para facilitar a vida - Fôrmas de Bolo

Achei essas formas super legais e resolvi postar aqui no blog.
Tudo muito prático, para ocasiões especiais.



terça-feira, 17 de maio de 2011

Novo grupo de estudos - INSS - fórum

Caros colegas, quem tiver interesse em participar o novo grupo formado está no endereço:

Grupo de Estudos - INSS

Estamos voltados ao INSS, mas as matérias de um modo geral são aproveitadas em outrs concursos tb.

Espero vcs lá...

Dicas simples para o uso da vírgula - Estudando Português

1. Use a vírgula para separar elementos que você poderia listar

Veja esta frase:
João Maria Ricardo Pedro e Augusto foram almoçar.
Note que os nomes das pessoas poderiam ser separados em uma lista:
Foram almoçar:
  • João
  • Maria
  • Ricardo
  • Pedro
  • Augusto
Isso significa que devem ser separados por vírgula na frase original:
João, Maria, Ricardo, Pedro e Augusto foram almoçar.
Note que antes de “e Augusto” não vai vírgula. Como regra geral, não se usa vírgula antes de “e”. Há um caso específico que eu explico daqui a pouco. Um outro exemplo:
A sua fronte, a sua boca, o seu riso, as suas lágrimas, enchem-lhe a voz de formas e de cores… (Teixeira de Pascoaes)

2. Use a vírgula para separar explicações que estão no meio da frase

Explicações que interrompem a frase são mudanças de pensamento e devem ser separadas por vírgula. Exemplos:
Mário, o moço que traz o pão, não veio hoje.
Dá-se uma explicação sobre quem é Mário. Se tivéssemos que classificar sintaticamente o trecho, seria um aposto.
Eu e você, que somos amigos, não devemos brigar.
O trecho destacado explica algo sobre “Eu e você”, portanto deve vir entre vírgulas. A classificação do trecho seria oração adjetiva explicativa.

3. Use a vírgula para separar o lugar, o tempo ou o modo que vier no início da frase.

Quando um tipo específico de expressão — aquela que indica tempo, lugar, modo e outros — iniciar a frase, usa-se vírgula. Em outras palavras, separa-se o adjunto adverbial antecipado. Exemplos:
Lá fora, o sol está de rachar!
“Lá fora” é uma expressão que indica “lugar”. Um adjunto adverbial de lugar.
Semana passada, todos vieram jantar aqui em casa.
“Semana passada” indica tempo. Adjunto adverbial de tempo.
De um modo geral, não gostamos de pessoas estranhas.
“De um modo geral” é sinônimo de “geralmente”, adjunto adverbial de modo, por isso vai vírgula.

4. Use a vírgula para separar orações independentes

Orações independentes são aquelas que têm sentido, mesmo estando fora do texto. Nós já vimos um tipo dessas, que são as orações coordenadas assindéticas, mas também há outros casos. Vamos ver os exemplos:
Acendeu um cigarro, cruzou as pernas, estalou as unhas, demorou o olhar em Mana Maria. (A. de Alcântara Machado)
Nesse exemplo, cada vírgula separa uma oração independente. Elas são coordenadas assindéticas.
Eu gosto muito de chocolate, mas não posso comer para não engordar.
Eu gosto muito de chocolate, porém não posso comer para não engordar.
Eu gosto muito de chocolate, contudo não posso comer para não engordar.
Eu gosto muito de chocolate, no entanto não posso comer para não engordar.
Eu gosto muito de chocolate, entretanto não posso comer para não engordar.
Eu gosto muito de chocolate, todavia não posso comer para não engordar.
Capiche? Antes de todas essas palavras aí, chamadas de conjunções adversativas, vai vírgula. Pra quem gosta de saber os nomes (se é que tem alguém), elas se chamam orações coordenadas sindéticas adversativas. (medo!)
Agora só faltam mais duas coisinhas:

Quando se usa vírgula antes de “e”?

Vimos aí em cima que, como regra geral, não se usa vírgula antes de “e”. Tem só um caso em que vai vírgula, que é quando a frase depois do “e” fala de uma pessoa, coisa, ou objeto (sujeito) diferente da que vem antes dele. Assim:
O sol já ia fraco, e a tarde era amena. (Graça Aranha)
Note que a primeira frase fala do sol, enquanto a segunda fala da tarde. Os sujeitos são diferentes. Portanto, usamos vírgula. Outro exemplo:
A mulher morreu, e cada um dos filhos procurou o seu destino (F. Namora)
Mesmo caso, a primeira oração diz respeito à mulher, a segunda aos filhos.

Existem casos em que a vírgula é opcional?

Existe um caso. Lembra do item 3, aí em cima? Se a expressão de tempo, modo, lugar etc. não for uma expressão, mas sim uma palavra só, então a vírgula é facultativa. Vai depender do sentido, do ritmo, da velocidade que você quer dar para a frase. Exemplos:
Depois vamos sair para jantar.
Depois, vamos sair para jantar.
Geralmente gosto de almoçar no shopping.
Geralmente, gosto de almoçar no shopping.
Semana passada, todos vieram jantar aqui em casa.
Semana passada todos vieram jantar aqui em casa.
Note que esse último é o mesmo exemplo do item 3. Vê como sem a vírgula a frase também fica correta? Mesmo não sendo apenas uma palavra, dificilmente algum professor dará errado se você omitir a vírgula.

Não se usa a vírgula!

Com as regras acima, pode ter certeza de que você vai acertar 99% dos casos em que precisará da vírgula. Um erro muito comum que vejo é gente separando sujeito e predicado com vírgula. Isso é errado, e você pode ser preso se for pego usando!
Jeito errado:
João, gosta de comer batatas.
Alice, Maria e Luíza, querem ir para a escola amanhã.
Jeito certo:
João gosta de comer batatas.
Alice, Maria e Luíza querem ir para a escola amanhã.

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Peito de Frango empanado ao forno.





Filés de peito de frango
2 colheres de farinha de trigo
2 colheres de farinha de rosca
1 pact de sazon vermelho
1/2 xícara de leite
1 clara em neve
limão, orégano,sal e alho para temperar o fílé.
Tempere o filé e deixe marinar 15 minutos. Passe no leite misturado à clara em neve e depois na mistura das farinhas com sazon. Coloque envolvido no papel alumínio e leve ao forno por 25 minutos.
Fica saboros e light.

Arroz de forno diferente. Com frango e creme de leite.

Boa Noite povo!!!

Mais uma vez procurando uma receita para reaproveitar aquele arroz que sempre sobra por aqui.
Cansada de fazer meu velho arroz de forno tradicional, encontrei pela net algumas variações, então juntando uma receita com outra e dando toque pessoal saiu essa gostosura aqui... ficou mt mas mt bom msm...
Vamos à receita????

1 cebola picadinha
algumas azeitonas
milho verde
pimenta calabresa
1 dente de alho picado
salsa
frango cozido e desfiado - sempre tenho congelado
Molho de tomate
Creme de leite
Refogue no azeite a cebola e o alho. Junte as azeitonas, milho pimenta e o frango.
Coloque o molho de tomates e um pouco de água, deixe fever e secar um pouco. Acrescente creme de leite, vai ficar um strogonoffe mais seco. Coloque então o arroz "dormido".
Despois da mistura coloque num refratário untado, uma camada de arroz e uma de queijo - eu coloquei o branco - mais uma de arroz e leve ao forno.
Aprovadíssimo...mt gostoso msm.

terça-feira, 10 de maio de 2011

Para manter a dieta msm no fast-food....


Sim, dá para comer no restaurante fast-food sem comprometer sua dieta. Um sanduíche vale por uma refeição completa e equilibrada. O segredo para se deliciar com um sanduíche que não pesa na sua dieta ou na sua consciência é passar bem longe da maionese, da batata-frita e pegar leve no queijo, na mostarda e no kechup.  Veja as dicas abaixo para aproveitar uma visita ao restaurante fast-food sem pôr sua dieta por água abaixo:


Opção 1: 1 X-filé de frango com salada e 1 copo (200 ml) de suco de caju
Opção 2: 1 cachorro-quente sem maionese e 1 copo (200 ml) de suco de acerola
Opção 3: 1/2 beirute de rosbife e 1 copo (200 ml) de suco de morango
Opção 4: 1 X-salada (sem maionese) e 1 copo (200 ml) de suco de maracujá
Opção 4: 1 X-búrguer com 1 copo de salada sem molho e 1 copo (200 ml) de limonada

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Tuques para facilitar NOSSO dia. Parte II

  1.  Dê um sabor especial ao vinagre colocando na garrafa uma azeitona 
  2. Para que não respingue gordura na fritura dos bifes, ponha um pouco de óleo na carne na hora de temperá-la. Depois coloque-a numa panela e não use mais o óleo. 
  3. Um truque para que a fritura fique bem sequinha: antes de levar a gordura ao fogo acrescente uma colherinha de álcool. Mas, lembre-se que a gordura deve estar fria, para evitar que o fogo se forme na frigideira! 
  4. Para a feijoada ficar mais leve, quando estiver pronta, acrescente um copo de caldo de laranja.
  5. Limpando o fogão. Muitos produtos são vendidos para a limpeza do fogão. Uma solução caseira que também é muito eficaz é misturar água morna com bicarbonato de sódio. Você logo vai notar a diferença.
  6. Para recuperar o queijo que ficou duro, é só deixá-lo de molho no leite de um dia para o outro.
  7. Para tornar mais verdes alguns legumes, junte uma colher de chá de açúcar à água do cozimento. Faz o mesmo efeito que bicarbonato de sódio e não altera a qualidade dos alimentos.
  8. Para preservar o verde natural do espinafre, logo após o cozimento, mergulhe-o em água fria.
  9. Não jogue fora as cascas de abacaxi. Use-as para amaciar carnes.
  10. Para a pizza ficar mais saborosa junte uma colher de chá de cebola ralada na massa.
  11. Para o arroz ficar soltinho pingue algumas gotas de limão ou vinagre à água do cozimento.
  12. Para dar a cor dourada ao bifes, coloque na hora da fritura uma colher de sobremesa de massa de tomate.
  13. Torresmos não são nada saudáveis, mas deliciosos. Eles ficarão mais macios e crocantes se você respingar cachaça enquanto eles estiverem dourando na panela.
  14. Eliminando cheiro de vasilhas plásticas: Para eliminar o cheiro impregnado em vasilhas plásticas, encha-as com jornal amassado (não pode ser colorido), tampe bem e deixe ficar por 24 horas.
  15. Coloque algumas folhas de louro secas no pote onde guarda a farinha. Assim, evitará o aparecimento de bichinhos.






quarta-feira, 4 de maio de 2011

Truques para facilitar no NOSSO dia!

  1. Requeijão caseiro: 2 litros de leite, 1 xicara de vinagre branco, 1 colher de manteiga e sal a gosto.Coloque o leite numa panela, quando começar a ferver coloque o vinagre e mexa. Desligue o fogo, escorra o soro, coloque a massinha no liquidificador, coloque a manteiga e adicione sal. Bata até virar um creme!
  2. Não precisa usar lâmina nova cada vez que se depilar. A gilete se conservará afiada se, logo após o uso, for lavada e guardada imersa em um recipiente com álcool.
  3. Tire o cheiro desagradável dos cinzeiros, lavando-os com água e vinagre.
  4. Antes de fazer churrasco, deixe a carne por algum tempo num molho com sal grosso, Coca-Cola e caldo de laranja e de limão. O churrasco ficará mais macio e gostoso.
  5. Para o frango frito ficar dourado e sequinho, sem grudar na panela, coloque uma colher de sopa de maisena no óleo de fritura bem quente.
  6. Antes de lavar as camisas, aplique xampú nos colarinhos. O xampú tira a gordura e facilita a lavagem.
  7. Para tirar o cheiro forte da geladeira ou de vasilhames plásticos, é só lavá-los com bicarbonato de sódio diluído em um pouco de água. No caso dos vasilhames, deixe-os mergulhados nessa solução por algum tempo.
  8. Torne o detergente mais eficiente, dissolvendo algumas gotas de vinagre. Suas panelas ficarão brilhando e sem gordura.
  9. Quando fizer um assado, coloque junto no forno uma vasilha refrataria cheia de água para evitar que a carne resseque.
  10. Para dar um sabor especial a qualquer prato com batatas cozidas, coloue 2 ou 3 cravos-da-índia na água do cozimento.
  11. Antes de fritar a polenta, passe-a na farinha de trigo. Assim, ela ficará mais macia e com uma crosta crocante.
  12. Quando você cozinhar beterrabas, aproveite essa mesma água no cozimento do feijão. O sabor ficará especial.
  13. Se a cozinha estiver com cheiro forte de fritura, encha um copo com vinagre e coloque-o sobre a geladeira ou armário.
  14. Retire a maionese que sobrou no fundo do vidro espremendo o suco de meio limão. A mistura dará um ótimo molho para saladas.
  15. Para facilitar a limpeza dos queimadores do fogão, ferva-os com água, sal, vinagre, gotas de limão e saponáceo em pó. Depois, esfregue com esponja de aço. Assim as manchas sairão mais rápido.
  16. Quando sobra muita gordura de uma fritura, ninguém quer jogar fora. O negócio é economizar, guardá-la para aproveitar outra vez. Só que já ficou com um cheiro desagradável, um gosto amargo e dificilmente poderá ser usada para qualquer coisa. Para evitar isso, assim que terminar a fritura, deite sobre a gordura ainda quente algumas rodelas de batata crua. Espere um pouquinho, retire as rodelas e pode guardar sua gordura sossegada, pois a batata absorveu todo o gosto deixado pelo que você fritou.
  17. Se você quiser que o peixe congelado fique com sabor de peixe fresco, descongele-o diretamente no leite.

terça-feira, 3 de maio de 2011

A arte de ser FELIZ!!!!

Acorde todas as manhã com um sorriso.
Esta é mais uma oportunidade que você tem para ser feliz.
Seja seu próprio motor de ignição. O dia de hoje jamais voltará.
Não o desperdice, pois você nasceu para ser feliz!
Enumere as boas coisas que você tem na vida.
Ao tomar consciência do seu valor,
você será capaz de ir em frente com muita força, coragem e confiança!
Trace objetivos para cada dia.
Você conquistará seu arco-íris, um dia de cada vez.
Seja paciente.
Não se queixe do seu trabalho, do tédio, da rotina,
pois é o seu trabalho que o mantém alerta,
em constante desenvolvimento pessoal e profissional,
além disso o ajuda a manter a dignidade.
Acredite, seu valor está em você mesmo.
Não se deixe vencer, não seja igual, seja diferente.
Se nos deixarmos vencer, não haverá surpresas, nem alegrias.
Conscientize-se que a verdadeira felicidade está dentro de você.
A felicidade não é ter ou alcançar, mas sim dar.
Estenda sua mão. Compartilhe. Sorria. Abrace.
A felicidade é um perfume que você não pode passar nos outros
sem que o cheiro fique um pouco em suas mãos.
O importante de você ter uma atitude positiva diante da vida,
ter o desejo de mostrar o que tem de melhor,
é que isso produz maravilhosos efeitos colaterais.
Não só cria um espaço feliz para o que estão ao seu redor,
como também encoraja outras pessoas a serem mais positivas.
O tempo para ser feliz é agora.
O lugar para ser feliz é aqui!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...